Arrematamos em leilão áreas nos portos de Cabedelo (PB) e Vitória (ES)

Aquisições possibilitarão aumento de eficiência logística na distribuição de combustíveis no Brasil. Leilão foi realizado hoje na B3

22 de março de 2019, às 14h42

O Consórcio Nordeste, formado pela Petrobras Distribuidora, Ipiranga e Raízen, foi vencedor da licitação dos lotes AI01/AE10/AE11 no Porto de Cabedelo (PB) para movimentação e armazenamento de granéis líquidos. O certame foi concluído hoje (22) em leilão realizado pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários – ANTAQ, na sede da B3, em São Paulo (SP). As áreas têm dimensões e inícios de operação variáveis (AI01: 18.275m² e início em 2019; AE10: 18.344m² e início em 2022; AE11: 20.465m² e início em 2022).

Os lotes foram arrematados pelos valores de outorga de R$ 6.021.000,00 (AI01), R$ 18.005.000,00 (AE10) e R$ 30.503.000 (AE11) e terão capacidade inicial de armazenagem de 64.040 m³ de combustíveis (AI01: 22.370 m³; AE10: 19.696 m³; AE11: 21.974 m³). As três empresas integrantes do Consórcio terão 33,3% de participação de capital cada. As operações serão realizadas por uma Sociedade de Propósito Específico (SPE), conforme previsto no edital. O contrato será válido por 25 anos, podendo ser sucessivamente renovado, até o limite de 70 anos.

“A Paraíba é um mercado expressivo e essa conquista é fundamental para garantir a eficiência e a segurança no suprimento de combustíveis à região. Através de uma parceria entre o poder público e a iniciativa privada, poderemos fazer os investimentos necessários em infraestrutura portuária para granéis líquidos”, diz Aurélio Antonio de Souza, executivo de Logística da BR, presente ao leilão.

Ainda no leilão realizado pela ANTAQ, o Consórcio Navegantes, também integrado por Petrobras Distribuidora, Ipiranga e Raízen, foi vencedor da licitação do lote VIX-30 no Porto de Vitória (ES), que terá a função de movimentar e armazenar granéis líquidos. As operações da área, dimensionada em 74.156 m², começarão em 2022.

O lote foi arrematado pelo valor de outorga de R$ 165 milhões e terá capacidade inicial de armazenagem de 65.725 m³ de combustíveis. As três empresas integrantes do consórcio terão 33,3% de participação de capital, cada. As operações serão realizadas por uma Sociedade de Propósito Específico (SPE), conforme previsto no edital. O contrato será válido por 25 anos, podendo ser sucessivamente renovado, até o limite de 70 anos.

“O investimento em diferentes modais na cadeia logística da distribuição de combustíveis é estratégico para o setor. E esta vitória é crucial num momento de expectativa de retomada gradual do crescimento econômico no país”, explica Aurélio Antônio de Souza.

As companhias que irão operar nas áreas do Porto de Cabedelo e do Porto de Vitória se comprometeram com a criação da infraestrutura, conforme previsto no edital, que contribuirá para a eficiência logística de distribuição de combustíveis no país.